Entenda o que é e como funciona a governança corporativa

Governança corporativa nada mais é do que estabelecer lugares apropriados para a tomada de decisões estratégicas sobre um negócio cuja complexidade começa a exigir, ou ao menos regular, a separação entre a propriedade da companhia, a gestão executiva e a operação propriamente dita.

As empresas familiares, à medida que crescem e obtém resultados mais consistentes no longo prazo, comumente se encontram em um ambiente em que questões familiares se veem entrelaçadas com carreiras profissionais de familiares e não familiares, necessidades operacionais da empresa, patrimônio de um ou mais grupos familiares e com a pressão da passagem do tempo e a sucessão das gerações.

Com maior ou menor dificuldade, não raro essas empresas enfrentam os desafios da chamada profissionalização de seu quadro profissional. Laços de lealdade e garantia de relacionamentos pessoais, muitas vezes sobrevalorizados em relação ao desempenho, começam a dar lugar para contratos profissionais voltados à geração de resultados. Mas o controle invariavelmente tende a permanecer nas mãos do fundador e de seu grupo, herdeiro ou eleito.

O estabelecimento de um sistema de governança corporativa parece ser uma solução para que as dores de crescimento de uma empresa familiar possam ser enfrentadas e assim dar continuidade a um negócio que conseguiu se firmar e que possui potencial o bastante para se desenvolver economicamente.

A Tarjab, nos últimos anos, decidiu seguir por este caminho, abrindo e organizando espaços distintos para um conselho de sócios e para um conselho consultivo, inclusive com conselheiros profissionais de mercado, concomitantemente com avanços na profissionalização nos níveis executivos e operacionais da empresa. E espera assim equilibrar os desejos e planos dos sócios proprietários com as necessidades impostas na velocidade da evolução do mercado e de seus clientes.

Num mundo que se descobre cada vez mais na incerteza e na extrema interdependência entre os mais variados atores da trama social, reservar lugares para se pensar sobre o futuro de forma responsável e disciplinada é promissor. E as famílias proprietárias que têm a coragem de dar os primeiros passos podem não só criar as condições de evolução de seu patrimônio, mas também de relações maduras com as várias partes envolvidas e impactadas por seu negócio.